MODELO PEDAGÓGICO PRÓPRIO

mpO curso de mestrado em Pedagogia do Elearning [MPEL] possui um modelo pedagógico próprio, especificamente concebido para o ensino virtual na Universidade Aberta.
Este modelo baseia-se nos seguintes princípios:

  • Ensino centrado no estudante, o que significa que o estudante é activo e responsável pela construção do conhecimento;
  • Ensino baseado na flexibilidade de acesso à aprendizagem (conteúdos,  actividades de aprendizagem, grupo de aprendizagem) de forma flexível, sem imperativos temporais ou de deslocação, de acordo com a disponibilidade do estudante. Este princípio concretiza-se na primazia da comunicação assíncrona, o que permite a não-coincidência de espaço e não-coincidência de tempo, já que a comunicação e a interacção se processam à medida que é conveniente para o estudante, possibilitando-lhe tempo para ler, processar a informação, reflectir e, então, dialogar ou interagir (responder).
  • Ensino baseado na interacção diversificada, quer estudante-professor, quer estudante-estudante, quer ainda entre o estudante e os recursos de aprendizagem, sendo socialmente contextualizada.

Com base nestes princípios, encontrará dois elementos vitais no seu processo de aprendizagem:

  • Classe Virtual: O estudante integrará uma turma virtual onde têm acesso os professores do curso e os restantes estudantes. As actividades de aprendizagem ocorrem neste espaço virtual e são realizadas online, com recurso a dispositivos de comunicação. Deve ser entendida como um espaço multi-funcional que agrega uma série de recursos, distribuídos por diversos espaços de trabalho colectivos e onde se processa a interacção entre professor- estudante e estudante-estudante.  A comunicação é essencialmente assíncrona e, por isso, baseada na escrita.
  • Contrato de Aprendizagem: O Professor de cada unidade curricular irá propor à turma um contrato de aprendizagem. Neste contrato está definido um percurso de trabalho organizado e orientado com base em actividades previstas previamente, apoiando-se na auto-aprendizagem e na aprendizagem colaborativa. Com base nos materiais de aprendizagem organizados e disponibilizados, o docente organiza e delimita zonas temporais de auto-aprendizagem (com base em documentos, bibliografia, pesquisa, análise, avaliação, experimentação de ferramentas, realização, etc) e zonas de interacção diversificada na turma virtual (seminário), intra-grupo geral de alunos, intra-pequenos grupos de alunos, ou entre alunos e professor.

Poderá Consultar o Modelo Pedagógico aqui.

TEMPO DEDICADO AO ESTUDO

Neste curso, aprender a distância numa classe virtual implica que não se encontrará nem mesmo local que os seus professores e colegas, nem à mesma hora, ou seja, é uma aprendizagem que lhe dá flexibilidade porque é independente do tempo e do local onde se encontram professores e estudantes.

Naturalmente que tal implica um boa organização do tempo dedicado ao estudo e à aprendizagem. Por isso, cada unidade curricular tem definido o número de horas de estudo e trabalho efectivo que se esperam de si: as unidades de ECTS.

Na Universidade Aberta cada unidade de crédito (1 ECTS) corresponde a 26 horas de trabalho efectivo de estudo, de acordo com o Regulamento de Aplicação do Sistema de Unidades de Crédito ECTS da Universidade Aberta, o que inclui, por exemplo, a leitura de documentos diversos, a resolução das actividades online e offline, a leitura de mensagens, a elaboração de documentos pessoais, o desenvolvimento de projectos, a participação nas discussões assíncronas e o trabalho requerido para a avaliação e classificação.

RECURSOS DE APRENDIZAGEM

Nas diferentes unidades curriculares ser-lhe-à solicitado que trabalhe e estude apoiando-se em diversos materiais e recursos de aprendizagem. Estes materiais são muito diversificados podendo assumir vários formatos: livros, textos escritos, apresentações powerpoint, recursos web, objectos de aprendizagem, vídeos, simulações, etc. Embora alguns desses recursos sejam digitais e fornecidos online no contexto da classe virtual, existem outros, como livros, que deverão ser adquiridos por si numa livraria antes do curso se iniciar, para garantir a sua aprendizagem no momento em que vai necessitar desse recurso. Esta informação será enviada pela coordenação do curso antes do curso se iniciar.

AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

A avaliação em cada uma das unidades curriculares  implica a coexistência de duas modalidades:

  • avaliação contínua (mínimo 60%);
  • avaliação final (até 40%);

A avaliação assume uma diversidade de possibilidades, nomeadamente, os portfolios, projectos individuais e de equipa, ensaios, resolução de problemas, estudos de caso, participação em discussões, relatórios de pesquisas, etc. de acordo com a especificidade das competências a desenvolver e a natureza dos conteúdos em causa.

A avaliação em cada unidade curricular é ponderada entre a avaliação contínua e uma componente de avaliação somativa final, realizada no final de cada unidade curricular, podendo contemplar a elaboração de artigos/ensaios, trabalhos, artefactos digitais, projectos, a apresentação e discussão de trabalhos, relatórios, etc, de acordo com o definido pela equipa docente em articulação com o coordenador do mestrado.

As classificações finais de cada unidade curricular deverão ser expressas numa escala numérica de 0 a 20, correspondendo as classificações inferiores a 10 à reprovação.

A aprovação na parte curricular do curso requer aprovação em todas as unidades curriculares, com uma classificação igual ou superior a 10 valores.